Bem- vindos

Bem- vindos

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Raios de sol


Vejo os raios de sol romper a aurora.
Vejo nascer o brilho de um novo dia.
Sinto nos raios a energia, o brilho, o vigor do sol em fazer deste dia um belo espetáculo, no qual participam os seres vivos deste planeta.
Os raios do sol embelezam cada qual a sua maneira.
Fornece energia natural que cada qual precisa.
Também castiga aos que destroem sem medida, sem planejamento...
Os raios do sol são como o pulsar de um coração; há muitos fortes e quentes, há outros mais fracos e frios...
Mas também são passagem, que cada dia nascem e adormecem.
Ajudam a criar ou destruir, plantar e colher...
Na aurora são como o nascimento de uma criança, delicados, mas com uma força sem medida, sem igual.
No entardecer, são como idosos que no fim da sua jornada já gastaram suas energias e vitalidades.
Mas os raios do sol surgem a cada dia em algum lugar do mundo, trazendo esperanças e levando expectativa de que poderá ser melhor do que ontem e pior do que amanhã...