Bem- vindos

Bem- vindos

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Lá No Meu Sertão





Lá no meu sertão
Triste realidade
Não tem água, não tem pão
Quanta crueldade.

Lá no meu sertão
Árvores secas, negras
Feito escuridão
Estendem seus galhos
Que só servem para virar carvão.

Lá no meu sertão
O sonho de todo homem
È ver a chuva cair
Reza a todos os santos
Vendo seus filhos partir.

Lá no meu sertão
Não tem água, nem pão
Nuvens no céu?
Pura alucinação....