Bem- vindos

Bem- vindos

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Melancolia



Hoje tento esquecer
Palavras rudes que me falastes
- ecos – que percorrem
minha memória.
Hoje tento não ouvir
- músicas – que me fazem
pensar em você.
Hoje tento apagar
Todas as suas loucuras
- passos – para um novo
recomeço.
Hoje só tento ouvir
- sinos – que anunciam
a chegada de um novo dia.





segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Barquinho Mensageiro


Construí um barquinho
- Soltei no mar.
Nele escrevi um recadinho
A quem viesse o encontrar.

Vai barquinho, vai...
Em outros mares ancorar
Entregue meu carinho
A quem possa te achar.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Brilhar


Dois brilhos se encontram:
O brilho do sol com o da lua acontece o eclipse.
Momento esperado por muitos, desvendados por poucos.
Assim um é brilho intenso e radiante, outro é ofusco e extasiante.
Um precisa do dia.
Outro da noite...
Cada qual seu mistério próprio, seu próprio encantar.
Mas caminhos se cruzam e assim acontece o espetáculo mais esperado pela humanidade.
É como o encontro de almas gêmeas que num instante se juntam para dar ao mundo seu espetáculo à parte.
E assim dizem...
- Feitos um para o outro!!!
Mas como nem sempre tudo dura a vida inteira, cada um segue seu caminho sem jamais apagar o brilho do outro.
Ofuscar? Talvez...
Na vida também é assim brilhamos para uns intensamente,
Somos como o sol necessário numa vida, e completado pela lua: formamos a magia do momento.
Mas o humano nem sempre perdoa o desencontro do espetáculo, não quer ver outro sorrir, não quer dividir...
Não deixa ao outro seguir seu caminho e assim machuca, mata, destrói....
Acabando com o brilho do próximo. Não vendo que a natureza ensina exatamente o contrário; que a cada novo encontro o espetáculo é mais belo, que a magia renasce sem
destruir, e que nesses encontros é que nascem as estrelas, que precisam de dois brilhos para crescer....

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Trem Vazio


Ensinastes-me como guiar o trem da vida
Só não ensinastes que a cada estação
Aumentaria o vazio em meu coração.

Repassastes-me sua sabedoria
Só não me falaste da dor
Que me assolaria.

Hoje me sinto como esse vagão
Só, muito só
Com uma enorme saudade no coração.

(Poema dedicado ao meu Pai)

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Arriscar-me





Em você não encontro sentimentos,
Mas sua pegada
Conduz-me ao desalinho
Despertando em mim fantasias.
Sua imagem vira miragem
Não penso,
Mas insisto, num desejo nato...
... Me arrisco.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011